No sacolejo do navio

(Mestre Suassuna)

 

No sacolejo do navio é que eu cheguei aqui

Meio morto meio vivo foi asim que eu vim

O meu corpo lá jogado na pedra do cortou

Meio morto meio vivo foi asim que eu vim

 

Pois quem nasceu pra ser guerreiro

Não aceita cativero

Por isso que eu decidi

 

Pois quem nasceu pra ser guerreiro

Não aceita cativero

Por isso que eu decidi

 

E quando o eco dos tambores ressoa nos ares

Correndo na mata virgem vou fundar palmares

 

Pois quem nasceu pra ser guerreiro

Não aceita cativero

Por isso que eu decidi

 

Pois quem nasceu pre ser guerreiro

Não aceita cativeiro

Por isso que eu decidi

 

A sua chibata por mais que me bata

Meu corpo maltrata e eu vou resistir

A sua chibata por mais que me bata

Se não me mata eu volto a fugir

 

Olê olê, olê Zumbi

Olê olê, Capitao do Mato vem ae

Olê olê, olê Zumbi

Olê olê, Capitao do Mato vem ae