No mar de Angola eu vim

 

Eu vim eu vim

No mar de Angola eu vim

No mar de Angola eu vim

Foi pra vadiar ↑

Eu vim eu vim

No mar de Angola eu vim

No mar de Angola eu vim

Foi pra vadiar ↓

Eu vim eu vim

No mar de Angola eu vim

No mar de Angola eu vim

Foi pra vadiar 

Eu vim eu vim

No mar de Angola eu vim

No mar de Angola eu vim

Foi pra vadiar 

 

Era traficado dentro de um navio negreiro,

Tambem amarrado dentro de um porão

Sem água pra beber e sem nada pra beber

Foi assim que eu vim para a escravidão

 

Eu vim eu vim

No mar de Angola eu vim

No mar de Angola eu vim

Foi pra vadiar 

Eu vim eu vim

No mar de Angola eu vim

No mar de Angola eu vim

Foi pra vadiar 

Tinha negro de jeje, de banto, nagô e angola

Que vinheram no Brasil para trabalhar

Sem saber onde irian chegar se jogavam lá no mar

Pensando em voltar pra mãe África

 

Eu vim eu vim

No mar de Angola eu vim

No mar de Angola eu vim

Foi pra vadiar 

Eu vim eu vim

No mar de Angola eu vim

No mar de Angola eu vim

Foi pra vadiar 

Depois de muito tempo navegando pelo mar

No chão ver e amarelo o negro foi chegar

Direto para o trabalho o negro foi condenado

Pra corta cana no canavial

Eu vim eu vim

No mar de Angola eu vim

No mar de Angola eu vim

Foi pra vadiar 

Eu vim eu vim

No mar de Angola eu vim

No mar de Angola eu vim

Foi pra vadiar 

Mas o tempo se passou, tudo isso se mudou

O negro criou a capoeira contra seu opressor

De dança fez a luta sobre o som do seu tambor

Com a guerra e a justiça o negro se libertou

Ogum ie kao kao

Eu vim eu vim

No mar de Angola eu vim

No mar de Angola eu vim

Foi pra vadiar 

Eu vim eu vim

No mar de Angola eu vim

No mar de Angola eu vim

Foi pra vadiar